Obesidade e Câncer de Mama



Como já é de conhecimento, a obesidade é fator de risco não somente para câncer de mama mas para câncer de endométrio, cólon, rim etc. O câncer de mama é o mais incidente nas mulheres principalmente após a menopausa e a obesidade aumenta a chance destas mulheres para esta doença. Um estudo brasileiro realizado na Bahia comprova a relação entre o câncer de mama e a obesidade. Foram acompanhadas 190 mulheres entre 2012 e 2014 demostrando que a chance de uma mulher obesa ou com sobrepeso ter câncer de mama é de 2,57 vezes maior do que uma mulher com peso normal especialmente no período após a menopausa.


O mecanismo para que isso aconteça pode ser explicado da seguinte forma: o excesso de gordura corporal gera um processo inflamatório crônico no organismo levando a produção de substâncias que podem afetar o DNA das células. Além disso a gordura funciona como uma glândula produtora do hormônio feminino estrogênio, que após a menopausa, deveria estar em nível bem baixo. Desta forma cria-se um ambiente favorável para o desenvolvimento do câncer de mama.


A obesidade também dificulta o tratamento, tanto a cirurgia quanto a quimioterapia e a radioterapia devido à própria dificuldade técnica causada pelo excesso de gordura bem como pelas outras patologias que geralmente se associam à obesidade como a hipertensão e o diabetes.


Uma educação alimentar orientada por nutricionista e endocrinologista associadas à atividade física, orientada também por profissionais da área, podem trazer resultados duradouros com um impacto muito favorável para saúde.


Dr. José Mauro Secco - Mastologista



#ObesidadeeCâncer #Menopausa #Fatorderisco #GorduraeCãncer #educaçãoalimentar #endocrinologista #Dietarápida #dietadeverão #diabetes #hipertensão #alimentaçãosaudável #SaúdedaMulher

Posts Em Destaque